Conheça algumas metodologias para startups e suas vantagens

Para que possa sempre gerar resultados de qualidade e agregar valor à própria trajetória, uma startup deve se apoiar em metodologias capazes de otimizar suas ações e facilitar seu trabalho. Essas formas prontas de trabalhar são capazes de se adaptar ao seu dia a dia e melhorar os processos.

Quem tem a ganhar é sua startup e o produto criado por ela. Não se trata de escolher um item pronto em uma prateleira e magicamente aprimorar sua startup. Optar por uma metodologia de trabalho envolve conhecer muito bem as particularidades dessas opções e as necessidades do seu negócio.

Veja a seguir algumas metodologias para startups e suas vantagens.

Design Thinking

O Design Thinking é uma metodologia para startups focada em identificar problemas e implementar soluções criativas para eles. Sua base é composta por três fases distintas: imersão, ideação e prototipagem. Tal forma de trabalhar pode ser muito vantajosa para uma startup, pois possibilita que a equipe esteja sempre respirando um ambiente voltado à inovação.

Isso é bastante positivo para qualquer negócio do tipo, afinal todos os processos vão contar com uma fase voltada à geração de ideias e à realização de testes — dois passos fundamentais para fazer com que a inovação seja parte da rotina.

MVP

A sigla MVP significa Minimum Viable Product (ou Mínimo Produto Viável). Esta metodologia para startups propõe a seguinte questão: qual é o mínimo que seu produto precisa ser e fazer para ser lançado? Trata-se de um caminho para se livrar do perfeccionismo e focar em colocar a solução no mercado.

Isso não significa que a startup deva começar a trabalhar com itens incompletos. Basta olhar para os principais exemplos de aplicação da metodologia MVP pelo mundo: empresas como Microsoft, Apple e Facebook, entre outras, fazem constantes atualizações em seus produtos para aprimorá-los.

Ou seja: o que foi lançado inicialmente era apenas o mínimo viável. A principal vantagem dessa forma de trabalhar é a possibilidade de aprender com o cliente a respeito de como o seu produto é usado para moldá-lo de acordo com isso e eventuais falhas que possam surgir.

Scrum

O Scrum é uma metodologia ágil que se divide em sprints, também chamados de ciclos. Em cada um deles, que geralmente duram um mês, é realizada uma série de atividades iterativas em função de um objetivo único.

Ao trabalhar com o Scrum, seus profissionais assumem papéis específicos que são fundamentais para que a metodologia dê certo. Há o Product Owner (ou dono do produto), por exemplo, que é responsável por apontar as prioridades do desenvolvimento do item.

Outra parte importante do trabalho com o Scrum é a breve reunião diária realizada pelo time, na qual é revisto o que foi realizado na véspera e são definidas as prioridades do dia.

Design Sprint

Como o nome já sugere, o Design Sprint tem como foco a velocidade. Essa metodologia de trabalho consiste em envolver de forma colaborativa os membros do seu time para conceituar e tangibilizar um produto em cinco dias de trabalho intenso.

Ao longo desse período, são realizadas reuniões focadas em estratégia, negócios, inovação, Design Thinking e testes. Dessa forma, a empresa pode contar com um produto finalizado em uma única semana de dias úteis.

A principal vantagem do Design Sprint é que, por ter todo o seu esforço concentrado em um rápido intervalo de tempo, acaba comprimindo o que seriam meses de discussões e implementações. Trata-se de um jeito mais rápido de colocar seu produto no mercado.

O que achou dessas metodologias para startups? Escolha aquela que melhor se encaixa nas necessidades do negócio e na dinâmica do time, analisando as vantagens e características de cada uma. Assim, será possível potencializar seus resultados a partir das abordagens certas.

Quer ficar por dentro de mais ideias inovadoras para sua startup decolar? Siga-nos nas redes sociais (estamos no FacebookLinkedIn e Instagram)!

Comente no Facebook

O que achou do conteúdo? Deixe seu comentário ;)