Entenda como os micro-momentos estão mudando a jornada de compra

Influenciada pelo enorme aumento das buscas por informações, produtos e serviços na internet, a Google criou, em 2015, o conceito de micro-momentos de consumo.

Esse conceito talvez seja o mais elementar para compreendermos o marketing digital e como ele deve evoluir de agora em diante. É uma teoria que descreve a forma imediatista e, até certo ponto, desordenada pela qual as pessoas se relacionam com as marcas online.

Neste artigo, você vai compreender o que são micro-momentos, como impactam as decisões de compra das pessoas e, por conseguinte, como as marcas devem estar preparadas para eles. Leia até o fim!

O que são micro-momentos?

Pense na última vez em que você fez uma pesquisa na internet. Provavelmente, tratava-se da necessidade ou ímpeto de resolver um problema simples, como repor um item quebrado, tirar uma dúvida ou achar uma determinada localidade.

Ao fazer isso, você passou por um micro-momento, e há enormes chances de que essa busca tenha sido em seu smartphone.

Esses aparelhos são decisivos para a existência dos micro-momentos de consumo. Antes deles, as pesquisas online não tinham uma participação tão ativa na vida das pessoas, pois os computadores não são tão práticos quanto os celulares.

Em outras palavras, você até tinha a intenção de saber sobre um determinado assunto ou produto, mas era constantemente traído pela sua memória. Quando finalmente estava na frente do computador, talvez horas depois, não se lembrava mais do que queria buscar.

Os smartphones permitem tirar dúvidas imediatamente, pois eles estão sempre à mão, e se tornam mais práticos à medida que sua tecnologia evolui. Vejamos, pois, quais são os 4 tipos de micro-momentos propiciados pelos aparelhos celulares.

Momento “eu quero saber”

Se você ouviu falar de um produto, conceito ou fato relevante e busca mais informações na internet, está vivendo um micro-momento “eu quero saber”.

O interessante com relação a esse momento é que ele representa uma porta de entrada para o consumo, movida quase que exclusivamente pela curiosidade. Ou seja, aumenta a necessidade de que as marcas descrevam suas soluções mais detalhadamente.

Momento “eu quero ir”

O acesso aos mapas e às pesquisas por localidades ficaram muito mais fáceis nos últimos anos.

Assim, conhecer novos restaurantes, casas de show e traçar seu próprio roteiro turístico em viagens por cidades desconhecidas são opções muito mais viáveis.

Momento “eu quero fazer”

Na língua inglesa, há um conceito para aquelas pessoas que se empenham em aprender atividades que supostamente deveriam ser desempenhadas por profissionais: o DIY ou Do It Yourself.

Não é difícil perceber a influência do YouTube na multiplicação desse tipo de consumidor. E, mais interessante, é notar que ele não se satisfaz apenas com esses vídeos, recorrendo a cursos online para aprender, além de adquirir ferramentas que, antes, teriam seu uso restrito a profissionais de determinadas áreas.

Momento “eu quero comprar”

De certa forma, esse é o momento propriamente lucrativo para uma empresa que se faz presente online, mas isso não significa que seja mais importante que os outros.

Tente se lembrar: provavelmente você já realizou uma busca online e fez a compra de um produto imediatamente depois. Ou, ainda utilizou o smartphone dentro de uma loja para tirar dúvidas sobre o produto que o vendedor não estava em condições de sanar.

Como ele afeta as decisões de compra?

A facilidade das buscas e compras pelo smartphone adicionou um elemento emocional ao consumo.

Essa ação continua sendo composta de ingredientes racionais — que levam em conta o preço, utilidade do produto, vida útil e muito mais — no entanto, os elementos mais subjetivos passaram a fazer parte da decisão de compra.

Motivados pelas facilidades que os aparelhos celulares propiciam, muitos consumidores realizam compras impetuosamente, no calor do momento.

Aliás, é exatamente isso que chamamos de micro-momento “eu quero comprar”. O fato é que esse momento é aquele em que as pessoas mais estão propensas a consumir, e o marketing digital permite potencializar esses poucos minutos.

Em outras palavras, no ambiente online é possível que uma marca se faça presente no momento em que um potencial cliente mais está ansioso e empolgado para adquirir um novo produto ou serviço.

Quais os impactos na vida dos consumidores?

Basicamente, o maior impacto de tudo isso na vida dos consumidores é a enorme facilidade de estar online. Os smartphones são multitarefas e estão à mão o tempo todo.

Entretanto, existem outras consequências, como o fato de consumidores se tornarem mais exigentes e informados sobre aquilo que pretendem comprar.

Suas pesquisas são mais aprofundadas e podem ser feitas consultas sobre os produtos, esmiuçando suas qualidades e defeitos.

Isso pode parecer contraditório com a natureza impulsiva do consumo que relatamos acima, mas é preciso lembrar que os outros micro-momentos explicam essa maior necessidade de pesquisa pelas características dos produtos.

Quais estratégias para aproveitar os micro-momentos?

Uma vez compreendido o conceito de micro-momento, as melhores estratégias para lidar com ele são duas: educação do potencial cliente no ambiente online e o relacionamento contínuo e consistente com ele. Entenda melhor.

A educação do potencial cliente

É óbvio que as marcas devem se fazer presentes no momento “quero comprar”. No entanto, muitos negócios relutam em compreender que os outros momentos também são importantes.

Utilizando conteúdo é possível, por exemplo, atingir um potencial cliente em etapas nas quais ele ainda não sabe sobre a própria necessidade de um produto ou serviço.

Esse cliente potencial, embora esteja, por exemplo, nas fases “quero fazer” ou “quero saber”, pode vir a ser um consumidor fiel, se você souber se relacionar com ele desde o início.

Utilize a produção de conteúdo para criar esse primeiro contato, conseguindo no Google novos leitores para um blog da sua empresa e gerando autoridade.

O relacionamento contínuo e consistente

Uma vez que esse primeiro contato se estabelece, é necessário cultivar uma relação que, no futuro, vai se tornar uma compra.

Para isso, faça uso das redes sociais, atinja, engaje, monitore e responda às dúvidas do seu público. Ele saberá reconhecer essa gentileza, assim como também vai passar a ver na sua marca uma referência sobre o assunto.

Milhões de micro-momentos acontecem a cada segundo. Pessoas ao seu redor, perto da sua empresa e em torno do mundo estão usando seus smartphones para conhecer, fazer, se deslocar e comprar. Tire proveito disso!

Na Penze, nossa especialidade é ajudar empresas a explorar esses breves minutos de empolgação. Quer conversar com um de nossos especialistas e tirar suas dúvidas? Entre em contato com a gente!

Comente no Facebook

O que achou do conteúdo? Deixe seu comentário ;)